Brasil

LENDA DOS RODEIOS Emoção marca a despedida de Asa Branca em Turiúba

Publicada em 06/02/20 às 15:41h - 523 visualizações

por Diário da Região


Compartilhe
   

Link da Notícia:

Moradores de Turiúba prestaram homenagens a Asa Branca  (Foto: Johnny Torres 06/02/20)

Familiares, amigos e fãs de Asa Branca se despediram do lendário locutor de rodeios nesta quinta-feira, 7, em Turiúba. A emoção marcou a despedida durante o velório, que aconteceu na Câmara Municipal. Antes, o corpo já havia sido velado também na Assembleia Legislativa, em São Paulo.

Waldemar Ruy dos Santos, o Asa Branca, foi enterrado sob homenagens ao som de berrantes e aplausos no jazigo da família, no Cemitério Municipal. "Não tenho como explicar o quanto foi difícil para ele. Dói muito, mas ao mesmo tempo a gente sente conforto, porque a gente sabe tudo o que ele passou, a gente sabe que ele está descansando com Jesus, sabemos que ele está bem", disse a viúva Sandra Santos.

O locutor Della Morena, da Diário 89,9, também acompanhou o velório e lamentou a morte de Asa Branca. "O Asa Branca foi uma pessoa maravilhosa, foi meu padrinho de rodeio. Se estou onde estou, eu devo a ele. A minha gratidão de ter sido levado por ele para a arena do rodeio brasileiro. Do rodeio, eu trouxe essa experiência para o rádio", afirmou.


Quem foi Asa Branca.

O capitão das arenas tinha 57 anos e enfrentava um câncer agressivo na garganta. Ele estava internado desde o dia 25 de janeiro no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp). A situação era complicada porque, além da doença, ele era portador do vírus HIV desde 1999 e tinha oito válvulas implantadas na cabeça em decorrência de uma hidrocefalia causada pela criptococose, a doença do pombo.

Asa Branca nasceu em Turiúba, em 19 de abril de 1962. Entrou nas arenas pela porteira da frente, montando em touros, mas a carreira de peão foi interrompida quando o chifre de um animal furou um de seus pulmões.

Sem poder montar, Asa Branca passou de peão a narrador e tornou-se a principal atração dos rodeios, destacando-se pela forma como narrava as montarias, sempre inovando. O helicóptero, uma de suas marcas registradas, quase sempre estava presente em suas entradas triunfais nas arenas.

Chegou a apresentar programas de televisão, como o Som Brasil e o especial Amigos, ambos da Rede Globo. Marcou presença também em novelas, entre elas O Rei do Gado, um dos grandes sucessos da emissora. Também participou de inúmeros programas de TV, especialmente os dominicais, como o Domingão do Faustão (Globo) e o Domingo Legal (SBT), na época apresentado por Gugu.

Em 2013, Asa Branca contraiu criptococose, a doença do pombo, que atinge o sistema nervoso. Na época, chegou a ficar internado por 83 dias, passou por seis cirurgias no cérebro, onde foram colocadas oito válvulas.

Recentemente, o ex-locutor enfrentou o mais cruel golpe em sua saúde: descobriu um câncer na garganta, que se espalhou pela face. A doença, já em estado terminal, era agravada por sua condição de portador de HIV e pelas válvulas na cabeça. Ele não podia passar pelas sessões de quimioterapia, já que poderia não resistir ao tratamento.

Biografia.

A vida de Asa Branca sempre foi cercada de polêmicas envolvendo abuso de drogas e prostituição. Não por acaso, a história rendeu um livro, escrito pelo jornalista Raul Marques, de Rio Preto. No lançamento, em São Paulo, Asa Branca, mesmo debilitado, deixou sua casa em Guarulhos para acompanhar a cerimônia. De cadeira de rodas, posou para fotos e deu atenção aos fãs e amigos.





ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (17) 98104-5704

Visitas: 9445020
Usuários Online: 49
Copyright (c) 2020 - Acorda Catanduva